FEBEC - Voluntários contra o câncer

Medalha de ouro na vida e no esporte: adolescente vence câncer e é campeã de ginástica rítmica


Letícia Gabrielle conquista medalha de ouro no Jogos Regionais 2016

   A estudante Letícia Gabrielle, 12 anos, atleta da ginástica rítmica nos Jogos Regionais 2016, realizados em Sertãozinho, no interior paulista, conquistou mais que a medalha de ouro na final da modalidade. A bauruense foi campeã no combate ao câncer, doença contra a qual se debatia desde bebê.
   Para a família, sua vitória vai muito além da competição esportiva. “Essa medalha de ouro significa uma nova vida para minha filha”, diz emocionada a mãe, Karla Videira dos Santos, 37 anos.
   Quando tinha três meses de vida, numa consulta de rotina com seu pediatra, em Bauru, Letícia foi diagnosticada com tumor renal bilateral. “Foi um choque. Seu caso era muito grave”, lembra Karla.


A paciente, durante o tratamento quimioterápico

   Encaminhada ao Hospital Amaral Carvalho (HAC), o Hospital do Câncer do Brasil, em Jaú (SP), a pequena iniciou o tratamento com sessões de quimioterapia. “O acolhimento que tivemos no hospital foi muito importante para suportarmos tudo aquilo. E a fé em Deus foi o que mais nos fortaleceu”, afirma.
   A menina Letícia teria um longo tratamento pela frente. Antes mesmo de completar um ano de idade, foi submetida a duas cirurgias para retirada de um rim mais um terço do outro. “Pensamos que ela não fosse aguentar, mas aguentou firme. Foram só vitórias durante o tratamento”.
   Para ela, foi um milagre a filha ter sobrevivido ao câncer. Para Letícia, foi mais que isso. Foi também determinação.  “É preciso muita disciplina e força de vontade para conquistarmos aquilo que desejamos. Nunca devemos desistir dos nossos sonhos. Tudo é possível”, ressalta a campeã.


Dra. Cláudia Oliveira: sua maior incentivadora no esporte

Incentivo ao esporte
   Desde pequena, Letícia mantém hábitos saudáveis em sua rotina diária. Segundo a mãe, ela está sempre com uma garrafinha de água, tem uma alimentação balanceada e faz atividade física. “Ela sabe que precisa se cuidar, tomar muita água e praticar exercícios. E não se descuida”, garante.
   A grande incentivadora da prática de esportes foi a doutora Cláudia Teresa de Oliveira, chefe da pediatria do Amaral Carvalho, que cuida de Letícia desde o início. “A doutora Cláudia faz parte da vida de Letícia, aliás, todos do hospital. Durante esses 12 anos aprendemos muitas lições com a equipe do HAC. Aprendemos a viver um dia de cada vez e a valorizar cada um deles. O trabalho humanizado dos profissionais do Amaral Carvalho também merece essa medalha de ouro”, conclui Karla.


A campeã e a mãe, Karla

   Até hoje Letícia faz acompanhamento no Amaral Carvalho. “As consultas agora se espaçaram. Só a cada dois anos ela faz exames e não houve mais nenhuma ocorrência. Minha filha conquistou a cura!”, comemora a mãe, confirmando, assim, que o câncer pode ser superado com diagnóstico precoce, acesso ao tratamento e apoio psicológico traduzido nas palavras amor e carinho.


Apresentação do grupo de ginástica rítmica

 

 

Juliana Parra
Hospital Amaral Carvalho
 

03/08/2016